Noções básicas de segurança e EPIs (Equipamentos de proteção individual)

Segurança no trabalho:


Nas  operações  de  soldagem,  o  soldador  deve  estar  atento  às  normas  de segurança, devendo:
a)  usar  o  Equipamento  de  proteção  individual  (EPI),  para  evitar  danos  físicos  ou

prejuízos à saúde;




b) usar biombos, para proteger as pessoas que o rodeiam;




c)  evitar danos materiais, não soldando em locais onde haja materiais de fácil combustão,  como óleo, gasolina, thíner, querosene, etc., e materiais explosivos, como pólvora, dinamite, etc.




Posto de trabalho de solda





É o local onde o soldador trabalha - cabines de solda ou outros locais onde seja necessário executar uma solda ( solda de campo e solda de manutenção). Encontram-se, a seguir, algumas precauções a serem observadas nesses locais:

a) Cabine de solda

Deve ser pintada em cor escura e fosca,para evitar a reflexão de luz, e ter ventilação suficiente, para que os gases (fumos) liberados pelo eletrodo durante a soldagem não sejam aspirados pelo soldador. Apesar de, normalmente, esses gases não serem tóxicos, podem afetar as vias respiratórias. No entanto, dependendo do tipo do eletrodo, os gases provenientes de sua queima podem ser altamente tóxicos. Em locais fechados é necessário colocar exaustores.

Nota: Não se deve soldar peças pintadas ou encharcadas de óleo ou graxa;

b) Solda de campo

Nessa situação, além das precauções normais, o soldador precisa estar atento aos danos provocados pela ação da corrente elétrica, evitando trabalhar em locais úmidos, debaixo de chuva, descalço ou usando calçados em más condições;

c) Solda de manutenção

Deve-se, neste caso, tomar cuidados especiais, evitando soldagens próximas a materiais inflamáveis ou explosivos. Perigos específicos da operação de soldagem

São considerados perigosos: os raios, a luminosidade, as altas temperaturas e os respingos lançados durante a soldagem.




Dos  raios  emitidos,  os  mais  nocivos  são  o  ultravioleta  e  o  infravermelho,  que  são invisíveis.O  raio  ultravioleta  provoca  queimaduras  graves,  com  destruição  das  células
(destruindo  prematuramente  a  pele)  e  ataque  severo  ao  globo  ocular,  podendo resultar em conjuntivite catarral, úlcera da córnea, etc. O  raio  infravermelho  é  responsável  por  danos  como  queimaduras  de  primeiro  e segundo  grau,  catarata  (doença  dos  olhos,  que  escurece  a  visão),  freqüente  dor de cabeça, vista cansada,etc.

Os  respingos  são  pequenas  gotas  de  metal  fundido  que  saltam,  no  ato  da soldagem,  em  todas  as  direções.Podem  estar  entre  100° C  e  1700° C  e  seu diâmetro  pode  chegar  a  6mm.  São  responsáveis  por  queimaduras  no  soldador  e podem também provocar incêndios se caírem sobre material combustível. Esses riscos deixam de existir quando o soldador  se protege com o EPI e trabalha em local que oferece condições seguras.

Equipamento de Proteção Individual (EPI)

Este equipamento, que protege o soldador dos perigos específicos à operação de soldagem, compõe-se de :

a) Máscaras

São  fabricadas  de  material  incombustível,  isolante  térmico  e  elétrico,  leve  e resistente  (fibra  de  vidro,  fibra  prensada,  etc.).  Servem  para  proteger  o  soldador dos raios, dos respingos e da temperatura elevada emitida durante a soldagem. Existem  vários  modelos  de  máscaras  e  sua  escolha  deve  ser  feita  de  acordo  com o tipo de trabalho a ser executado. 



As máscaras possuem filtros de luz (vidros protetores), que devem absorver no
mínimo 99,5% da radiação emitida nas soldagens. A  tonalidade  desses  filtros  - que devem ser protegidos em ambos os lados por um vidro  comum  incolor  -  deve  ser  selecionada  de  acordo  com  a  intensidade    da corrente,  para  que  haja  absorção  dos  raios  emitidos  (infravermelhos  e ultravioletas)




Se  essa  classificação  for  obedecida,  a  absorção  dos  raios  infravermelhos  e ultravioletas será de, no mínimo, 99,5%. A  montagem  dos  vidros  nas  máscaras  deve  ser  feita  conforme  mostra  a  figura abaixo.   




b) Luvas
Protegem as mãos;





c) Avental
Protege a frente do corpo;




d)   Mangas ou mangotes  blusões de couro
Protegem os braços;




f)  Perneiras ou polainas
Protegem as pernas e os pés do soldador.




g) blusões de raspas




Todos  esses  equipamentos  de  proteção    destinam-se  a  proteger  o  soldador
contra:
*calor
* respingos
* radiação emitida pelo arco.
As  luvas,  avental,  mangas  e  perneiras  são  feitas  de  raspas  de  couro.  Para trabalhos  especiais,  onde  a  temperatura  é  muito  alta,  usa-se  equipamento  de alumínio/amianto.





Mais:



Visualizar apostila Senai.

Créditos:
Solda elétrica: SENAI
 CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL
“JOSE IGNACIO PEIXOTO”



      

Cald'nazza




Nenhum comentário :

Postar um comentário