Curvamento de chapas(Tipos de calandra)

O processo de curvamento consiste em operações que conferem à peça uma deformação permanente em raios previamente especificados. Por ser levado a efeito no regime plástico, a exemplo do dobramento, também neste processo observa-se o fenômeno de retorno elástico.

Basicamente, este processo é adequado para o curvamento de chapas, placas, barras, perfis e tubos, com o emprego de equipamentos específicos. Nesta postagem e na seguinte, trataremos de:

1 - Curvamento de chapas
2 - Curvamento de tubos
3 - E que tipos de equipamentos são necessários.

Curvamento de chapas





 Curvamento de chapas

As operações de curvamento de chapas e placas são levadas a efeito em calandras. Pela calandragem, podem ser obtidas chapas curvas com raios de curvamento pré-determinados como cilindros, cones, tronco de cones, bem como qualquer outra superfície de revolução. Dois tipos de calandras estão disponíveis no mercado: a calandra de passo e a calandra piramidal.

Calandra de passo:




Na calandra de passo (fig 18-a), a folga entre os rolos alinhados é ajustável para várias espessuras e o rolo de trabalho pode se deslocar para a obtenção de diferentes diâmetros. O diâmetro mínimo que pode ser obtido é o do rolo superior acrescido de 50 mm. Este tipo de calandra é adequado para grandes volumes de produção de peças de diâmetros (raios) menores. São mais precisas que as calandras piramidais.




Calandra piramidal:



Na calandra piramidal, o rolo superior pode ser ajustado para exercer maior ou menor pressão, obtendo-se peças de diâmetros e/ou raios menores ou maiores. O diâmetro/raio mínimo obtido é de cerca de duas vezes o diâmetro do rolo superior para os aços inoxidáveis e de uma vez e meia para os aços carbono. O diâmetro máximo da peça é limitado pela estabilidade da peça dobrada.


Para evitar contaminação, é prudente a limpeza dos rolos da calandra antes de curvar aços inoxidáveis que devem estar protegidos pela película de polietileno ou PVC.


No curvamento de chapas pela a calandra pode ser produzida tanto em peças tubulares como em peças cônicas. Porém cada uma tem o seu cálculo específico e forma de curvar na calandra.

Para calcularmos o tubo precisamos de uma constante chamado pi. Na matemática, o pi  é uma proporção numérica originada da relação entre as grandezas do perímetro de uma circunferência e o seu diâmetro. O seu valor é infinito mas por aproximação as calculadoras de 8 dígitos aproxima ele de 3,1415927. Para o nosso cálculo se não houver na calculadora o valor de pi, poderemos aproximar para 3,14 ou um pouco mas preciso de 3,1416. Ver mais:

Porém peças cônicas não só os cálculos são maiores (Veja em uma apostila online, pág 5.1) como também a sua confecção um pouco mais trabalhosa, mas nada que seja um grande problema para profissionais experientes. Para saber mais sobre a confecção de um tronco de cone acesse: Curvaturas.





Créditos:
Eduardo Luiz Alvares Mesquita / Engº Mecânico - ACESITA
Léo Lucas Rugani / Engº de Minas e Metalurgista - ACESITA

Consultoria:
Engenheiro Ademar Kagê - Dir. da GRAPAIX Ind. e Com. Ltda
Engenheiro Roberto Mendes Borges - Diretor da KPB Ind. e Com. Ltda
Engenheiro Léo Loureiro Parolo - Diretor da KPB Ind. e Com. Ltda



Cald'nazza



Nenhum comentário :

Postar um comentário